domingo, 19 de julho de 2009

Living alone


"...Eu quero uma casa no campo..."

Depois que crescemos, começamos a trabalhar e percebemos em nossa conta, todos os meses, nosso salário a vontade de morar sozinho, ter a própria casa/apartamento é quase inevitável na maioria dos jovens. Eu, desde que tinha meus 15 anos sonho com o dia em que conseguirei morar sozinha, ter meu cantinho onde poderei arrumá-lo da forma que eu gosto e constituir minhas próprias regras, horários e vontades.
Tinha, até uma semana atrás, uma visão fantástica, muito fácil onde seria simplesmente "easy" e maravilhoso ter meu próprio apartamento, com minhas louças coloridas, meu quarto cheio das minhas tralhas, livros e adereços, uma sala aconchegante onde eu pudesse receber meus amigos e familiares e as vezes ficar lá, pensando na vida e ouvindo uma boa música ou lendo um bom livro. No entanto, há uma semana, uma hipótese muito corriqueira fez-se presente pra mim. Eu poderia morar sozinha, ter um apartamento recém reformado, com um tamanho perfeito pra mim, num lugar bom. O que mais faltava??? Óbvio, eu deveria, obrigatoriamente, estar trabalhando pra começar. Comprar uma cozinha - armários, geladeira, fogão e microondas - mais todas as louças e acessórios dignos de uma cozinha decente. Sofás, mesa de centro, armário e balcão, televisão e som, mesa de jantar com cadeiras e demais acessórios necessários para uma sala de estar. O quarto seria a única peça que já estaria completa - levaria minha cama, meu guardaroupas (sem hífen?) e meu notebook juntamente com meu baú multicolorido e lindo. Mas e ai, cade a grana pra comprar tudo isso de uma vez só?
Na verdade a grana e o fato de ter que comprar tudo isso, foi o que menos me fez pensar na mudança - até porque encontraria algum amigo afim de rachar as despesas de um apê! -, o que me fez entrar em "pânico" foi a parte "sair da casa da mamãe!" Meu Deus!! Pânico³³³³!!!
Água. Luz. Telefone. Supermercado. A mensalidade da Unisinos (MEU DEUS!!). Foi quase um filme de terror.
Uma vez, num passado não tão distante, um certo alguém havia me convidado para juntar minhas tralhas com as dele, minha resposta foi curta e simples: "A mensalidade da Unisinos vai pro teu nome?" É, diz o Seu Rogério que quando eu fizer minhas malas e riscar de casa pra morar sozinha e fazer minha vida, a mensalidade da Unisinos e todas as outras que eu "ganho" vem junto. Ai ferro!!!
Então, acho que eu vou esperar mais um pokórinho né, estou há 20 anos morando aqui, ta bem bom com o conforto e o carinho da mamãe, as despesas pagas pelo papai, o choro do meu Doce me acordando pela manhã, minha cadela (desgraçada) latindo incessantemente... Mas assim, esperar bem pokórinho!! Voltando a trabalhar (e ganhando um salário considerável), ai a coisa muda de figura!!

P.S.: Pô Seu Rogério, pega leve!! haushuahsuahsuha...

"...um dia frio
um bom lugar pra ler um livro
e o pensamento lá em você
eu sem você não vivo..."

Um comentário:

Monica Loureiro disse...

Nossa, eu já passei por isso, de querer sair de casa...Tem que fazer um planejamento mesmo....

Dá uma olhado no Podcast de hoje da MARA LUQUET , na CBN, ela dá uns conselhos bacanas para sua idade...