quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Eu fui, eu sou, eu serei...

"Cansei de ser moderno. Quero ser eterno"
É, então! Chega uma época da vida em que a gente cansa de determinadas coisas e passa a querer outras.
Eu, por exemplo, parei para pensar - sim, apesar das besteiras que eu digo, ainda consigo pensar um pouco - nas coisas, e até pessoas, que fizeram parte de mim por um certo tempo e, com o decorrer dos anos, não fazem mais. Por quê? Não tenho nem idéia.
Cansei daquela história de ter que comprar roupas de marca, pratas, tênis de marca, mochila de marca, óculos de sol de marca... essas futilidades que temos quando estamos estudando. Cansei daquelas pessoas que achavam que tinham "fama", achavam que eram melhores do qualquer outra pessoa, achavam que podiam mais do que os demais. Cansei das pessoas fúteis.
Cansei das festas, dos lugares, das comidas, das pessoas tradicionais. Cansei dos lugares fúteis.
Cansei da vida de adolescente que só queria aparecer para as pessoas. Cansei de ser àquela Mariana Schmidt braba, que brigava com todo mundo, que ditava - tentava - ordens à todos. Cansei das minhas futilidades.
Passei muito tempo dentro "dàquela" casca, me privando de coisas simples, me tornando rebelde por coisas idiotas, querendo que o mundo fosse como eu queria que ele fosse, ou invés de me tornor o que o mundo queria que eu fosse, e quem "ele" precisava.
Me tornei uma borboleta. Sim. Livre para desvender os mistérios do mundo, pra enfrentar de frente os meus desafios, realizar meus sonhos independente das coonsequencias, ser que eu realmente sou. Floreci. "Borboletiei".
Agora eu estou livre. Livre para trabalahr cada vez mais. Sonhar cada vez mais. Amar cada vez. Conhecer-me cada vez mais. Ser criança cada vez mais. Ser eu mesma cada vez mais.

"Não venha me falar de razão, não me cobre lógica, não me peça coerência, eu sou pura emoção, tenho razões e motivações próprias, me movimento por paixão. Essa é minha religião e minha ciência.
Não meça meus sentimentos, nem tente compará-los a nada, deles sei eu. Eu e meus fantasmas. Eu e meus medos. Eu e minha alma.
Sua incerteza me fere, mas não me mata. Suas dúvidas me açoitam, mas não deixam cicatrizes.
Não exija prazos e datas, eu sou eternidade e atemporal. Não imponha condições, eu sou absolutamente incondicional. Não espere explicações, nãs as tenho, apenas aconteço sem hora, local ou ordem..."

Don't worry. Be happy....

Um comentário:

Rekissima!!! disse...

Borboletinha/ta na cozinha/ fazendo chocolate/ para a madrinha/ coti coti/ perna de pau...
hasuhasuahsua
uma música que mamãe cantava!
Te adoro pintoooo!
Chega uma hora que é legal sair do casulo...bem vinda ao mundo das butterflies!